Um pouco de meus pensamentos sobre o mundo onde vivemos
Carla Vilhena
15 fev 2017


Pensamentos soltos

Um argumento de pessoas que defendem a antecipação da maioridade penal é que em países desenvolvidos crianças são julgadas. A diferença é que essas crianças têm opção. As nossas muitas vezes não têm.

Antes de querer baixar a idade penal para que jovens e adolescentes sejam jogados na cadeia, temos que fazer nosso dever de casa para com eles. Que tal esgotar antes as possibilidades de educá-los e dar oportunidades de uma vida digna?

A educação no trânsito é tão importante para o pedestre quanto para o motorista. E deve ser feita de modo integral. Inclusive nas penalidades e multas.

Toda instituição pública deveria ser obrigada a dar preferência à utilização de prédios tombados ou históricos para suas instalações. Assim seria responsabilidade do Estado preservá-los, em benefício de todos.

A falta de autoestima e perspectivas é um dos fatores que levam meninos e meninas a se sexualizar precocemente. É uma forma de chamar a atenção para si.

Medidas simples podem mudar a vida de muitos. O cuidado com o ambiente em que vivemos começa com atitudes que parecem pequenas, mas que têm um grande resultado. Um senhor que preservou a natureza em sua fazenda no Espírito Santo, quando todos desmataram para fazer pastagens, hoje abastece todo o município com a água acumulada em sua propriedade.

O que mais admiramos na Europa – a organização, a limpeza, a pontualidade, a preservação do patrimônio histórico – é o que menos praticamos por aqui.

Como melhorar nossas cidades?

Pare e pense no seu papel na sociedade: o que eu posso fazer para melhorar o lugar onde vivo?

Se não ocuparmos as ruas, se elas não se tornarem mais amigáveis, com locais exclusivos para pedestres, bem iluminados e confortáveis, a bandidagem vai ocupar.

Lugares sujos, mal-cuidados, escuros, quebrados, abandonados pelo poder público, atraem violência. Dados do Núcleo de Estudos da Violência da USP.

Bicicletas e ciclovias são importantíssimas, fundamentais, mas em  lugares planos. Andar na ciclovia no morro é para atletas, não para o cidadão comum.  Amsterdam, Berlim, Paris (na maior parte), beira-mar do Rio de Janeiro, são lugares planos, adequados para ciclovias.

Ciclovia não substitui o transporte público. Deve ser um complemento, não a única política de transportes, principalmente na metrópole.

Educação ambiental deve ser na teoria e na prática. Crianças de escola deveriam participar de mutirões para limpar ruas, rios e córregos e, se possível, ser apresentadas a rios limpos e preservados. Elas não podem achar que ter um rio sujo é normal.

Aliás, nós não podemos achar que violência, sujeira, abandono, falta de professores, de médicos, de saneamento seja normal. Não é. Viver em um lugar adequado e ter direito a atendimento são direitos do cidadão.

 

 









14 comentários


///////////////

  1. Edson

    Parabéns pelos seus pensamentos. Muito lúcidos. Com relação à falta de oportunidade aos menores acrescento que o estado é um grande responsável pela criminalidade dos menores porque diferente das nações evoluídas nossa estado não acompanha nossas crianças desde seu nascimento deixando as famílias se desintegrarem e as crianças acabam jogadas à própria sorte.
    Parabéns
    Edson

    1. Carla Vilhena

      Edson, que bom que você compreendeu o que eu disse e não partiu para o discurso fácil da punição pura e simples. Obrigada.

  2. Gabi Amorim

    Texto impecável! Parabéns!

  3. Maurício

    Eu continuo mantendo meu raciocínio.
    Sem educação não há evolução!
    Educação, família e respeito são essenciais para o desenvolvimento do caráter.
    Carla, não vou elogiar que acabo sendo redundante!
    Parabéns.

    1. Carla Vilhena

      Muito obrigada pelo seu comentário, Maurício. Concordo totalmente com o que você diz. A educação deficiente é a fonte de todos os nossos males. Povo sem educação não luta por seus direitos. Venha sempre aqui!

  4. Roberto

    Hola Carla, no puedes ser más hermosa!
    Te veía hace tiempo en Rede Bandeirante y ahora te encuentro en IG!
    Saludos desde Cordoba, ARG.
    Roberto

  5. Wilson Alves

    Muito bom descobrir este seu Blog, sua linha de pensamento é uma receita aos nossos “desgovernantes” , mas eles são cegos para o óbvio, pensam em suas carreiras e falcatruas e esquecem o básico, respeitar o povo que entregou estes poderes a eles, por pura confiança e eles viram as costas, só abrem um sorriso nas vésperas das próximas eleições. Sou a favor do fim da reeleição, não como uma mudança na constituição, mas pela consciência do povo, jamais reeleger quem tem ou ja teve um cargo politico ou de confiança e isso é fácil de saber. Política não é carreira profissional e sim doação a sociedade de competências individuais. Parabéns Carla pelo texto, simplesmente “absoluto”!

    1. Carla Vilhena

      Penso exatamente a mesma coisa! Vereadores, por exemplo. Por que receber salário para ir a duas reuniões ou votações semanais? O que eles faziam antes de ser vereadores? Poderiam continuar trabalhando como antes, e comparecer às votações à noite. Um vereador não precisa de ajuda de custo, pois ele continua morando na mesma cidade em que se elegeu. Se essa mudança fosse adotada, só iria se candidatar a vereador quem realmente quisesse o bem da cidade onde mora. Obrigada pelo comentário, Wilson!

    1. Carla Vilhena

      Muito obrigada! Venha sempre participar e me prestigiar aqui no blog!

  6. Maria Eunice Marques Vilhena

    Adoro a lucidez dos seus pensamentos. Fico feliz quando você expõe suas ideias, compartilha conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sugeridos para você:

///////////////