Downton Abbey
Carla Vilhena
10 jun 2016


Minha série favorita

Terminei hoje de assistir aos episódios de Downton Abbey disponíveis na internet.

Além de estar me sentindo órfã  da primeira série que conquistou completamente o meu coração, a ponto de eu aproveitar cada minutinho livre para assistir, nem que fossem dez minutos, Downton Abbey foi  importante para me lembrar do tanto que perdemos em convívio familiar e lazer tranquilo com o advento da vida moderna.

A família em Downton faz parte da aristocracia inglesa do começo do século XX. O mundo na época passava por mudanças importantes, geopolíticas, comportamentais, econômicas. Os nobres assistiam a profundos golpes no seu modo de vida. Fortunas se dissipavam, propriedades se perdiam, tradições se quebravam.

Os Grantham, moradores do castelo que dá nome à série, sofrem mas conseguem se adaptar aos novos tempos, com mais produtividade na lavoura, na criação e no arrendamento de terras. São queridos pelos empregados, por manterem sempre um senso de justiça e generosidade. Passam uma lição de união familiar, ao lutar para que a “roupa suja” não saia nunca de dentro de casa.

Família

Para mim, que fui criada com respeito à privacidade e muitos ensinamentos de união familiar pelos meus pais, felizmente juntos até hoje, é uma confirmação de que a família, o ninho onde encontramos apoio sempre, é da maior importância para a formação dos indivíduos.

Família é o porto seguro para onde sempre podemos voltar. É o aconchego de que precisamos nas horas mais difíceis. É onde comemoramos nossas  conquistas, sabendo que ali não é território de invejas e “olho grande”.  É a emoção nos casamentos,  a alegria nos aniversários, o amparo nos velórios, o orgulho nas formaturas, a sensação de plenitude nas bodas…

Você não se identificou com esse modelo de família? Pois isso é o que todas deveriam ser. Se você não sente isso dentro da sua casa, com seus pais, seus irmãos, seu marido ou mulher, seus filhos, saiba que uma relação assim é construída no dia-a-dia, ao longo dos anos de convívio. Ponha a mão na consciência. Você chega em casa e tem tempo para conversar com sua família? Abre mão da televisão e do celular para trocar experiências, passear, se exercitar, fazer um piquenique na companhia deles? Participa de eventos que são importantes para eles, só para dar apoio moral? Torce nas competições, vibra com o sucesso profissional, comemora uma nota boa na prova?

Se não, ainda é tempo de mudar. Construa com amor seus laços familiares, para que no futuro, mesmo quando todos criarem asas para percorrer o mundo, saibam sempre que têm raízes e um solo amigável para onde voltar.









9 comentários


///////////////

  1. Tatiana

    Tb Amo Downton Abbey! Pena que acabou!

    1. Carla Vilhena

      Não assisti ainda ao final, pois não carregaram os episódios… estou morrendo de curiosidade!

  2. Elaine

    Carla amiga querida, parabéns pelo blog, Vc já tinha me indicado Dowton e fiquei maravilhada com a série . Pena que não encontrei a temporada final, aguardo ansiosa. Bjsss

  3. rose

    Adorei sua crítica!
    Amo a série, vi até a 4° temporada na Netflix, aguardo ansiosa a última temporada ficar disponível seja na Netflix ou internet, compartilhe conosco quando assisti.
    Descobri seu blog agora e espero frequentá-lo mais.

  4. Alexandre

    Parabéns! Achei muito legal o seu texto, venho de uma família bem grande de 18 irmãos , hoje somos somente 11 vivos, com o tempo todos alçaram voos, constituíram novas famílias. Mas me lembro bem, quando menino, nós reunimos todos para as festas de natal, para formatura, batizado, noivados e as vezes nos reuníamos simplesmente pelo fato de querer estar juntos. E bem isso família e porto seguro, valorize a sua família, a vida e um supro passa muito rápido.

    1. Carla Vilhena

      Que lindo comentário! Tenho certeza de que você desfrutou momentos inesquecíveis! Na minha família, todos estavam um pouco alheios, as novas gerações não se conheciam, até que resolvemos nos reencontrar. Novas amizades se formaram e nos divertimos muito! Os mais velhos são os mais animados. Os jovens verão o valor desse convívio um pouco mais tarde. Obrigada pela participação aqui no blog, volte sempre!

  5. Pingback:Chá das Cinco, bom para o corpo e para a mente - Carla Vilhena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sugeridos para você:

///////////////