Déjà Vu, um mistério da mente
Carla Vilhena
10 out 2016


Você já sentiu saudades de um lugar que você estava vendo pela primeira vez? Uma sensação, um reconhecimento, um aperto no coração, como se você estivesse familiarizado com aquilo? Pois isso é o que as pessoas chamam de déjà vu, ou “já visto” em francês. E foi exatamente o que me aconteceu ao visitar pela primeira vez várias regiões da Itália. Imagens, gostos, cheiros, experiências (como conhecer a neve), me causaram não só a emoção do novo, mas também me trouxeram memórias afetivas, algo como se eu estivesse me sentindo à vontade naquele ambiente.

20160814_22181420160814_222358

Explicação Científica?

Os cientistas têm várias explicações para o déjà vu, inclusive algumas bem pouco românticas, como disfunções do lobo temporal, na parte responsável pela memória. No filme Matrix, o déjà vu seria uma falha da realidade virtual, que aconteceria quando estão consertando alguma coisa…  (Superinteressante, abril de 2008)

20160731_142118

Eu prefiro não tentar explicações e sentir apenas a parte prazerosa da coisa toda. Como quando pisei no lago de Garda, no norte da Itália, e tive um insight de vidas passadas desfrutadas naquela paisagem magnífica. Não que eu acredite nisso, apenas viajei com essa sensação e curti cada minuto. Sem mais perguntas. Às vezes, perguntar menos é aproveitar mais… e pronto.

20160729_152756

Então, voltar a todos esses lugares, levando minha família, foi pra mim a realização de um sonho. Trazer meus filhos a cidades onde vivi experiências que formaram o ser humano que sou hoje. Mostrar o lugar onde morei, voltar a restaurantes onde conheci vários sabores. À sorveteria que, para mim, fabricava o melhor sorvete do mundo, à pizzaria onde eu comia a melhor pizza da minha ainda curta vida… Tudo isso foi um momento de realização pessoal, regado a muita emoção.

20160731_182803

Não sei se significou para eles o que significou para mim. Não sei se eles vão se lembrar com tanto carinho daqueles dias. O que sei é que essa viagem me trouxe à tona vários sentimentos adormecidos, vários sonhos realizados e não realizados, várias expectativas concretizadas ou não, vários caminhos que poderiam ter sido e que não foram. Como se, numa encruzilhada, eu tivesse tomado um caminho que me afastou de todos os outros, sem ter consciência disso.









17 comentários


///////////////

  1. Denise

    Oi Carla, meu nome é Denise, fui colega da sua mãe na taquigrafia. Quando estive em Bone, na França, naquele famoso hospital, lindo, muito lindo, tive a sensação do déjà vu. Fiquei emocionada, fechei os olhos e tive todas as sensações de outra época, o cheiro, o vento, a umidade, o barulho de panelas… Realmente inexplicável.
    Beijos
    Denise

    1. Carla Vilhena

      É uma emoção enorme! Mesmo tendo pesquisado as explicações científicas, para nós parece tão real… Um grande beijo, Denise, obrigada pelo comentário!

  2. Bruno de Faria Rodrigues

    Oie carlinha eu ja senti sim quando fui pro maranhao visitar parentes meus e Bonito fui pra bonito no mato grosso do Sul…ai eu amei dimais estes lugares viajei muito mentalmente e lembrei de muitas coisas que passei na vida ate chegar naquele lugar…a sensaçao e unica mesmo…parabens pelas suas viagens lindas mesmo carlinha …adorei as fotos…te adoro muitoooo!!!

    1. Carla Vilhena

      Pode ser sim uma sensação maravilhosa, como a que você e eu sentimos. Ainda bem que não nos lembramos de experiências tristes. Obrigada pela elogios!

    2. Carla Vilhena

      Pode ser sim uma sensação maravilhosa, como a que você e eu sentimos. Ainda bem que não nos lembramos de experiências tristes. Obrigada pela elogios!

  3. Fabiopvt

    É sempre interessante, surpreendente e prazeroso na maioria das vezes essa sensação de déjà vu pois mesmo quem não acredita passa a desconfiar sobre essa possibilidade de uma realidade que um dia existiu e ainda a carregamos conosco.Adorei todas as postagens da sua viagem e agradeço por compartilhar tudo isso conosco!

    1. Carla Vilhena

      Você sempre atencioso! Eu que agradeço a oportunidade de compartilhar meus momentos prazerosos com vocês!

  4. Cezane

    Carla, eu sinto algo parecido, saudades de lugares onde nunca estive e de pessoas que eu nunca vi, acredito que fizeram parte da minha vida em outros planos. Nunca tive a sorte de encontrá-los, mas sei que existiram e me fazem muita falta.

    1. Carla Vilhena

      É um mistério incrível, né? Quando acontece isso, é muito marcante.

  5. Rubens Junior

    Boa noite Carla, trabalho com consultoria e viajo muito pelo Brasil e sempre tenho deja vu, é como se eu já estivesse vivenciado tudo aquilo exatamente como estou vendo naquele momento, sendo que nunca havia ido naquele lugar. O espiritismo diz que já vivenciamos isso em vida passada e está presente em nosso subconsciente, por isso temos essa sensação. O interessante é que é tudo muito real.
    Bela reportagem,
    Beijos,
    Rubens Junior

    1. Carla Vilhena

      É um mistério, mas pelo menos no meu caso, bem agradável. Que bom que você gostou!

  6. Cicero

    Admirável Carla,
    Fico encantado com suas narrativas e descrições perfeitas dos lugares e ambientes pelos quais você teve o prazer de conviver e viver. A Itália oferece essa exuberante satisfação e prazer. Obrigado por compartilhar conosco tanta diversidade cultural e conhecimento. Parabéns. Abraços

    1. Carla Vilhena

      Cícero, que orgulho que me dá um comentário como o seu. Me dá forças e ânimo para continuar minha caminhada. Venha sempre, espero que você curta muitas viagens aqui no blog!

  7. Leonardo

    Olá. Deixo aqui minha opinião. Nossa mente é mesmo um mistério. A maioria de nós passamos pelo déjà vu. Aliás, acredito que todos somos convidados em algum momento a sentir a experiência. O que varia é o que fazemos com ela. No meu caso, sempre os tive desde criança. E como eles nunca pararam, fui levado a entender o que se passava. Na memória temos: Lembrança, recordações e reminiscencias. Ou seja, do mais superficial para o mais profundo. O déjà vu nada mais é que Reminiscencias. São mesmo recordações mais profundas do nosso inconsciente. Inevitável acessá-los quando retornamos a um lugar que estivemos em outras vidas. Agora é contigo. Acreditar ou não é uma questão de necessidade. Pra mim, foi. E hoje, não tenho dúvidas. Minha convicção é que realmente somos um espírito eterno, com múltiplas experiências na face da Terra. Não é fácil mergulhar neste mistério. Mas vale a pena! Seja Feliz!!!!!

    1. Carla Vilhena

      Acho sua interpretação a mais bonita de todas, Leonardo. Fico encantada de pensar que tivemos outras passagens aqui na Terra. Como todo mistério da existência, não pode ser comprovado. Mas que é instigante, é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sugeridos para você:

///////////////